Educação em Sustentabilidade nas Instituições de Ensino Superior

Otto Scharmer coloca que a crise da nossa era não está centrada, como muitos pensam, na economia ou na falência financeira. A crise real do nosso tempo é intelectual com a falência de um modo de viver e de se relacionar com o mundo, traduzido em nosso pensamento econômico. Assim, escreve Stephen Sterling, um novo caminho que enfrente esta crise e considere a sustentabilidade depende de uma mudança fundamental de mentalidade. Esta mudança está ligada a educação e a qualidade, profundidade e extensão de nosso aprendizado nos próximos 10 a 20 anos.
Nesse sentido, Elie Wiesel pontua que a educação deve enfatizar valores ao invés de teorias, seres humanos ao invés de conceitos, percepção ao invés de abstrações, perguntas ao invés de respostas e a consciência ao invés de ideologia e eficiência.
Um programa de educação em sustentabilidade para um novo paradigma de sociedade deve conter seis princípios afirma David Orr: i. Toda educação é educação ambiental; ii. A meta da educação não é dominar um assunto ou tema, mas a si mesmo; iii. O conhecimento carrega com ele a responsabilidade de ver se ele está sendo bem utilizado; iv. Não podemos dizer que sabemos de algo até entendermos os efeitos deste conhecimento nas pessoas e em suas comunidades; v. A importância de ‘minutos particulares’ e o poder de exemplos sobre palavras; vi. A forma em que o aprendizado ocorre é tão importante quanto o conteúdo de um curso particular.
O paradigma emergente concebe o mundo como integrado e a natureza como uma complexa rede de inter-relações na qual o ser humano faz parte. A educação deve promover a complementação do pensamento analítico com o sistêmico, de modo que possamos compreender que o foco do aprendizado não deve ser somente o objeto, as hierarquias e o conhecimento objetivo, mas também o processo, as relações, as redes e conhecimento contextual.
Fundamentado nesse contexto teórico, consolidado durante o curso Certificate in Education do Schumacher College, em 2009-10 participei da concepção e implantação do Programa Metodista Sustentável (PMS) cujo objetivo é incluir sustentabilidade de maneira transversal no currículo acadêmico e nas operações da Universidade. No link a seguir você pode ler um artigo que explica o PMS publicado no Journal of Education for Sustainable Development em comemoração aos 10 anos da Carta da Terra: http://www.metodista.br/metodista-sustentavel/biblioteca/methodist-university-sustainable-program.pdf/view
O resultado mais recente do PMS foi à conquista do Desafio Santander de Sustentabilidade por parte de um grupo de alunos do Curso de Biologia da Metodista, orientados por uma professora participante do Programa FLESES. O projeto vencedor, chamado ‘Bixo Verde’, elenca ações e metas a serem cumpridas em todos os períodos do curso, levando à formação de líderes em sustentabilidade. Mais detalhes sobre o projeto Bixo Verde e sobre o Desafio Santander de Sustentabilidade no link http://www.caminhoseescolhas.com.br/votacao.aspx

Recommended Posts